URGENTE!

Sócios da Place Tecnologia e Inovação S/A dão calote em sócio que investiu R$ 50.000,00 de capital e que detinha 10% (dez por cento) do capital social da empresa!

Place TI como é conhecida no mercado, por intermédio de seus principais sócios-estrela que gostam de aparecer nos jornais e revistas como porta-vozes do compliance, hoje respondem a uma AÇÃO DE DISSOLUÇÃO PARCIAL DE SOCIEDADE COM APURAÇÃO DE HAVERES E PEDIDO INDENIZATÓRIO, na 2ª Vara Empresarial de São Paulo.

A situação é muito grave, e coloca em cheque todo o circo armado para vender aos bancos um compliance que realmente NÃO EXISTE!

Os três sócios da Place são acusados de FORJAR UMA ATA DE DELIBERAÇÃO, SEM A PARTICIPAÇÃO DO QUARTO SÓCIO, visando a exclusão sumária do mesmo, sem sequer o pagamento do valor correspondente à suas cotas.

O sócio prejudicado (LEONARDO ALEXANDER VENUTO SOUTO) precisou recorrer ao judiciário para ter acesso aos livros contábeis da empresa!

O que será que DHIEGO SOARES, NILTON ANDRADE E TIAGO RAMOS escondem? Muito provavelmente vão recorrer à justiça para tentar calar este blog, contudo, o processo é público, e a liberdade de imprensa também!

Todos tem o direito de saber que realmente são os placers…principalmente os clientes! Basta de farsa!

Segundo Pedrosa, “devedor de alimentos”passou a ser vítima de “dor de cotovelo” de ex…

Justiça manda prender empresário Eduardo Pedrosa por não pagar pensão

O empresário Eduardo Pedrosa está com uma dívida de R$ 76,1 mil por não pagar a pensão alimentícia a dois filhos de 7 e 10 anos

Isadora TeixeiraCarlos CaroneMirelle Pinheiro

29/04/2022 18:48,atualizado 29/04/2022 20:27

Fotografia colorida de homem com camisa preta

Matheus Veloso/Especial Metrópoles

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) determinou, na quinta-feira (28/4), a prisão do empresário Eduardo Pedrosa por não pagar pensão alimentícia de dois filhos de 7 e 10 anos.

A coluna apurou que Eduardo Pedrosa estaria devendo a pensão desde outubro de 2021, apesar de ostentar uma vida de luxo nas redes sociais. No mês passado, a dívida estava em R$ 76,1 mil, valor que deve ser atualizado no momento do pagamento.

Eduardo Pedrosa tem cinco filhos, fruto de dois relacionamentos. Um deles é o deputado distrital que tem o mesmo nome do pai, Eduardo Pedrosa (União Brasil). O empresário é irmão da ex-deputada distrital Eliana Pedrosa.

O TJDFT determinou a prisão do empresário pelo prazo de 30 dias ou até que pague a dívida da pensão alimentícia.

Eduardo Pedrosa é herdeiro da Dinâmica Serviços e da Esparta Segurança, empresas que prestam serviço de limpeza e conservação.

Esta não é a primeira vez que a Justiça determina a prisão do empresário por não quitar a pensão alimentícia. Em 2015, Eduardo Pedrosa ficou preso na carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE), mas foi solto no mesmo dia após pagar o que devia.

O outro lado

À coluna, Pedrosa disse que, antes mesmo da decisão de prisão, pediu a revisão do valor da pensão que hoje é de cinco salários mínimos por filho. O empresário ainda paga a escola particular e o plano de saúde das crianças.

Também antes da determinação da prisão, Pedrosa colocou à disposição um bem de seu patrimônio com valor maior do que a dívida para quitá-la.

Confira a nota na íntegra:

“A juíza natural do caso, que tem todas as informações, não concedeu o pedido. Esperaram a juíza substituta assumir para pedir a prisão, o que é um absurdo. A empresa que tenho está sob gestão de minha ex-companheira, apesar de sermos sócios meio a meio.

Depois da separação, nunca tive mais nenhuma retirada ou prestação de contas – isso, inclusive, está judicializado em ação própria. O que eu e minha atual esposa sofremos é uma perseguição dos nossos ex-companheiros, com extrema dor de cotovelo e conduzidos por raiva e maldade por não terem superado. Estou em viagem a trabalho e não tenho intenção em descumprir decisão judicial que só tive notícias pela imprensa, o que também é muito estranho. Vou me inteirar da decisão e entrar com medidas para restabelecer a verdade”

Empresa de VISTORIA investigada pela PF por esquema de fraude na clonagem de mais de 3 mil veículos do exercito brasileiro ABRE NO RN.

Aberta nas proximidades da BR101, próximo a HIUNDAY na semana passada, a empresa que é investigada por um dos maiores escândalos da vistoria veicular do pais. VEJA MATÉRIA (LINK do G1).

O esquema para entrar empresas sem experiência e sem tecnologia para o serviço publico de vistoria veicular no DETRAN-RN, tem conivência do diretor do órgão e alguns funcionários coniventes com a falcatrua e a mafia da propina no estado do RN.

A intenção de alguns integrantes do DETRAN-RN, que está ligado ao ex deputado cassado Ricardo Mota é doentio. O esquema é manter o órgão estadual de transito do RN, sem a capacidade de validar as imagens de chassi e motor, facilitando assim a pratica de crimes como FRAUDES e ADULTERAÇÕES e lógico a velha PROPINA.

O atual diretor é contra a terceirização desde dos primórdios de sua inútil administração, hoje quem está pagando o pato é o usuário que tem sofrido em média 25 dias para conseguir uma vistoria, ou, paga para passar a fila no famoso jeitinho brasileiro ou sofre com a espera para ser atendido.

Senhor diretor do DETRAN-RN, nos estamos de olho e vamos expor aqui toda a podridão de uma máfia que é reconhecida pela sociedade potiguar.

Aguardem as cenas dos próximos capítulos dessa novela mexicana que é a vistoria de veículos no RN.

A FEDERAL esta chegando… E como diria o velho de ditado “E SE GRITAR PEGA LADRÃO no DETRAN-RN não sobra quase ninguem.

ESTAMOS DE OLHO !!!

Operação da PF apura fraude em consórcio do Banco do Brasil de mais de R$ 100 milhões…

PRESIDENTE DA BB CONSÓRCIOS É SÓCIO OCULTO DA REGISTRADORA NCK. PODEM ESCONDER O JOGO, MAS O MERCADO REVELA…

CAIU COMPLIANCE, CAIU SÓCIO OCULTO, CAIU CREDENCIAMENTO NA BAHIA…

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje a “Operação Consórcio 200” que vai investigar possível gestão fraudulenta na BB Consórcio, do Banco do Brasil. Segundo nota da PF, cerca de 20 polícias federais cumprem oito mandados de busca e apreensão em São Paulo, Paraná e no Distrito Federal.

A PF informou que inquérito policial, instaurado em 2021, teve origem após encaminhamento pelo próprio Banco do Brasil de notícia crime após auditoria interna de duas operações de consórcio, no valor de R$ 100 milhões, aprovadas como consórcio de veículos, mas utilizada para outros fins. O pagamento inclusive não foi realizado regularmente, “o que obrigou o banco estatal a cobrir parte considerável do contrato”.

Ainda segundo o comunicado da PF, “a operação financeira pode ser caracterizada como gestão fraudulenta – crime contra o sistema financeiro nacional, apenada com reclusão de 3 a 12 anos e multa”.

Posicionamento Banco do Brasil

O Banco do Brasil informou que, assim que identificou irregularidades em sua subsidiária, comunicou as autoridades policiais, que iniciaram as investigações. O BB destaca, em nota, que “praticamente todos os valores envolvidos nas irregularidades foram recuperados pela BB Consórcios como resultado das medidas adotadas durante as apurações”.

“O BB continua contribuindo com as investigações e tem se colocado sempre à disposição das autoridades competentes”, acrescenta a nota.

As irregularidades na subsidiária BB Consórcios foram identificadas pelo sistema de auditoria do Banco do Brasil, em 2020, segundo o banco.

O banco explica ainda que, em agosto de 2020, destituiu os executivos da BB Consórcios investigados e nomeou novos gestores para facilitar a apuração completa dos fatos e dar continuidade à gestão da empresa. “Todo esse esforço do BB teve relevante contribuição para o avanço das investigações pelas autoridades policiais”, diz.

* Com informação do Valor PRO, serviço em tempo real do Valor Econômico.

Concessão da FDL no DETRAN/TO chega ao fim…aguardem Delações dos seus sócios…

Após 12 anos com o faturamento na casa dos 150 milhões, a FDL encerra sua última concessão e é extirpada do Mercado de registros, resta agora somente sua subsidiária Arqdigital com os Laranjas Alfredo e Vítor Moreira.

Diante do atual cenário, pode-se dizer que em breve também acabará seu reinado nos Estados do Amazonas e Pará, sendo fim de mais uma empresa que abocanhou milhões com as concessões de 25 anos (e que somente vão durar 10 anos).

Tá bom, tá excelente! Ao menos agora, Alfredo Moreira terá recursos para pagar sua defesa na Lava Jato (operação na qual foi preso).

Quanto ao monocular do seu filho Vítor, esse está precisando de uns dias de cárcere, se acha demais, o dele segundo o MP do MS está guardado, até mais ver ….