ATENÇÃO DETRANs!

Foram noticiadas FRAUDES no processo de registro de contratos do Departamento de Trânsito de um dos maiores estados do País!

Ocorre que muito embora o serviço seja cobrado pela empresa, o registro de contrato não é efetivamente realizado, constando no sistema do DETRAN apenas informações relativas ao apontamento (gravame), que pode ser cancelado ou suspenso a qualquer tempo, deixando vulneráveis as informações, que podem ser passíveis de clonagem, falsificação, etc…

Muito em breve divulgaremos qual DETRAN encontrou a fraude e qual empresa será responsabilizada criminalmente. Aguardem…

Fontes seguras revelam que o devedor passa férias em Portugal…

Justiça manda prender empresário Eduardo Pedrosa por não pagar pensão

O empresário Eduardo Pedrosa está com uma dívida de R$ 76,1 mil por não pagar a pensão alimentícia a dois filhos de 7 e 10 anos

Fotografia colorida de homem com camisa preta

Matheus Veloso/Especial Metrópoles

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) determinou, na quinta-feira (28/4), a prisão do empresário Eduardo Pedrosa por não pagar pensão alimentícia de dois filhos de 7 e 10 anos.

A coluna apurou que Eduardo Pedrosa estaria devendo a pensão desde outubro de 2021, apesar de ostentar uma vida de luxo nas redes sociais. No mês passado, a dívida estava em R$ 76,1 mil, valor que deve ser atualizado no momento do pagamento.

Eduardo Pedrosa tem cinco filhos, fruto de dois relacionamentos. Um deles é o deputado distrital que tem o mesmo nome do pai, Eduardo Pedrosa (União Brasil). O empresário é irmão da ex-deputada distrital Eliana Pedrosa.

O TJDFT determinou a prisão do empresário pelo prazo de 30 dias ou até que pague a dívida da pensão alimentícia.

Esta não é a primeira vez que a Justiça determina a prisão do empresário por não quitar a pensão alimentícia. Em 2015, Eduardo Pedrosa ficou preso na carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE), mas foi solto no mesmo dia após pagar o que devia.

O outro lado

À coluna, Pedrosa disse que, antes mesmo da decisão de prisão, pediu a revisão do valor da pensão que hoje é de cinco salários mínimos por filho. O empresário ainda paga a escola particular e o plano de saúde das crianças.

Também antes da determinação da prisão, Pedrosa colocou à disposição um bem de seu patrimônio com valor maior do que a dívida para quitá-la.

Confira a nota na íntegra:

“A juíza natural do caso, que tem todas as informações, não concedeu o pedido. Esperaram a juíza substituta assumir para pedir a prisão, o que é um absurdo. A empresa que tenho está sob gestão de minha ex-companheira, apesar de sermos sócios meio a meio.

Depois da separação, nunca tive mais nenhuma retirada ou prestação de contas – isso, inclusive, está judicializado em ação própria. O que eu e minha atual esposa sofremos é uma perseguição dos nossos ex-companheiros, com extrema dor de cotovelo e conduzidos por raiva e maldade por não terem superado. Estou em viagem a trabalho e não tenho intenção em descumprir decisão judicial que só tive notícias pela imprensa, o que também é muito estranho. Vou me inteirar da decisão e entrar com medidas para restabelecer a verdade”

Fonte: Metrópoles

13 DETRANs mantém sistemas próprios insatisfeitos com o modelo atual!

Mesmo contrariando as recomendações do Ministério da Infraestrutura e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) , que recomendam a terceirização dos serviços de Tecnologia da Informação – por ser o meio mais seguro para armazenamento, gestão e tratamento dos dados – os Órgãos de Trânsito têm se posicionado no sentido de internalizar as operações. Essa internalização tem acarretado lentidão nos serviços, e falhas na segurança da TI, e sobrecarga de tarefas aos servidores. Além, é claro, do maior custo para o consumidor, que precisa retornar ao órgão várias vezes para concluir um serviço.

Placers praticam preços totalmente contrários à média de mercado no registro de contrato!

Em recente pesquisa de mercado, este Blog descobriu como a Place Tecnologia tem angariado os registros de contratos de quase todos os Estados do país.

Oferecendo menos que a metade do valor médio de mercado, para que a registradora mantenha uma operação segura e atenda aos RIGOROSOS CRITÉRIOS estabelecidos pela Resolução 807 do CONTRAN, a Place age de forma sorrateira (o que não é estranho aos seus sócios, uma vez que estão sendo processados por forjar uma ata de assembleia para TOMAR as cotas de um sócio) tomando o mercado em uma nítida prática de DUNPING ECONÔMICO, prática desleal e proibida pelo CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA!

URGENTE!

Sócios da Place Tecnologia e Inovação S/A dão calote em sócio que investiu R$ 50.000,00 de capital e que detinha 10% (dez por cento) do capital social da empresa!

Place TI como é conhecida no mercado, por intermédio de seus principais sócios-estrela que gostam de aparecer nos jornais e revistas como porta-vozes do compliance, hoje respondem a uma AÇÃO DE DISSOLUÇÃO PARCIAL DE SOCIEDADE COM APURAÇÃO DE HAVERES E PEDIDO INDENIZATÓRIO, na 2ª Vara Empresarial de São Paulo.

A situação é muito grave, e coloca em cheque todo o circo armado para vender aos bancos um compliance que realmente NÃO EXISTE!

Os três sócios da Place são acusados de FORJAR UMA ATA DE DELIBERAÇÃO, SEM A PARTICIPAÇÃO DO QUARTO SÓCIO, visando a exclusão sumária do mesmo, sem sequer o pagamento do valor correspondente à suas cotas.

O sócio prejudicado (LEONARDO ALEXANDER VENUTO SOUTO) precisou recorrer ao judiciário para ter acesso aos livros contábeis da empresa!

O que será que DHIEGO SOARES, NILTON ANDRADE E TIAGO RAMOS escondem? Muito provavelmente vão recorrer à justiça para tentar calar este blog, contudo, o processo é público, e a liberdade de imprensa também!

Todos tem o direito de saber que realmente são os placers…principalmente os clientes! Basta de farsa!