Larissa Abdalla presidente do Detran-MA está conivente desde 2016 onde o credenciamento a exemplo do Paraná favoreceu somente a Infosolo dos Gregos Egípcios Pantazis

A empresa Infosolo Informática S.A. – que recebeu do Detran-MA credenciamento para realizar o registro eletrônico dos contratos de financiamento de veículos com cláusula de alienação fiduciária no Maranhão -, foi alvo de ação do Ministério Público do Paraná (MPPR) na quarta-feira (20). Com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP do Distrito Federal e Territórios, os investigadores paranaenses cumpriram cinco mandados de prisão temporária e sete de busca e apreensão no âmbito da operação “Taxa Alta”.
Segundo o site Metrópoles, a investigação do MP do Paraná apurou que a Infosolo foi beneficiada em operação milionária para atuar no registro digital de contratos de financiamentos de veículos. Como todo carro financiado é taxado, a transação envolve muito dinheiro. “De acordo com as apurações, o processo de licitação teria sido manipulado de modo a beneficiar a empresa vencedora, no caso, a Infosolo”, diz a publicação. Um ex-diretor-geral do Detran do Paraná acabou é preso (saiba mais). Aditivos A empresa brasiliense Infosolo tem entre os sócios Alexandre Pantazis e Basile Pantazis. A família dos “gregos”, como são conhecidos na capital, montou negócios em diversos estados. Além do Maranhão, operam também em Minas Gerais e no Paraná. No Detran maranhense, a Infosolo começou a atuar em 2016. Em dezembro daquele ano a atual presidente do órgão, Larissa Abdalla, homologou o primeiro contrato com a empresa. Os dois irmão assinam o documento junto com ela. Em janeiro de 2019, o contrato foi aditivado, nos mesmos termos do original, e prorrogado por mais dois anos. Outro lado Em nota emitida ainda na quarta-feira, a Infosolo disse que “sempre pautou sua atuação pela transparência e rígidos princípios de ética e correção. Sua posição de liderança no setor de registro de contratos advém, acima de tudo, da forma séria e comprometida com que sempre norteou suas iniciativas”. E acrescentou que “a empresa jamais desrespeitou qualquer norma relativa aos procedimentos públicos dos quais participa e tem plena convicção de que esclarecerá os fatos junto ao Poder Judiciário. Todos os esclarecimentos, bem como a disponibilização de informações e documentos ao Ministério Público foi feita com absoluta tranquilidade, diante da plena convicção de que nenhum ato ilegal tenha sido realizado no processo de credenciamento junto ao Detran-PR”. Fonte: O fiscalizador